Pages

quinta-feira, 19 de abril de 2012


Papo sério

Muitas vezes não temos a dimensão da profundidade e complexidade das situações que vivemos em nossa história.

Ontem estava fazendo um trabalho do Curso de Pós-Graduação e detectei claramente o mesmo padrão do dependente de drogas com o dependente de comida.

As fases são idênticas e a recaída acontece da mesma forma.

Posso falar com convicção pois convivi com a obesidade por 15 anos e hoje convivo com a manutenção com alguns episódios de recaída em minha história.

Essa leitura da situação me fez refletir o quanto precisamos despertar para o apoio, cuidado e conselho das pessoas que lutam com a compulsão alimentar e principalmente encarar nossa luta como diária, pessoal e única tendo em nossa mente que estar obeso não é sinônimo de preguiça e/ou gula e sim do resultado de uma história de vida que nos fez encarar o alimento como uma fonte de conforto, abrigo, alento criando uma relação de dependência dificultando o enfrentamento e a fuga das situações que gerarão compulsão.

Emagrecer não é tão simples como muitas vezes pensamos ou falamos pois envolve sentimentos, história, emoções, memórias e nossa vida é produto de nossas vivências marcada por nossas alegrias e dores.

Mas do que nunca vou procurar viver o hoje, comemorando pequenas vitórias e tendo a convicção de que não sou magra e sim gorda em tratamento.

Vou compartilhar com vocês os estágios de mudança no tratamento do usuário de drogas e refletir pq me identifiquei com a situação:

Estágio de pré-contemplação: a pessoa não encara sua situação como problemática, não busca tratamento voluntariamente pois não tem consciência da profundidade e complexidade de sua situação.
Por muito tempo eu dizia que não me incomodava com os 30 quilos a mais e fugia das pessoas ou situações que me faziam encarar o problema.

Estágio de contemplação: a pessoa reconhece o problema mas procura justificar ou minimizar seu comportamento.
Sabia que minha hipertensão, problemas nas articulação eram resultados do peso excedente mas justificava com frases como: ... faço tudo e não emagreço.... não como quase nada.... meu metabolismo não me ajuda....

Estágio de ação: a pessoa consegue perceber que seu problema tem solução, acredita que é capaz de mudar e desenvolve um plano de ação.
Identifiquei minha necessidade de agir, acreditei que seria capaz e busquei ajuda/alternativas que possibilitaram o emagrecimento.

Estágio de manutenção: é o mais importante e difícil estágio. Para permanecer nele a pessoa tem que reorganizar sua vida, desenvolver habilidades para o enfrentamento e procurar se engajar em atividades extras.
Mas uma vez estou querendo aprender a viver esse estágio e creio que vou desenvolver essas habilidades e no futuro poderei me considerar curada de minha dependência.

Recaída: Consiste no retorno ao comportamento de consumo (descontrole), é frequentemente acionada por emoções, conflitos, pressão externa ou outros estímulos. Normalmente acontece pq a pessoa está confiante e acha que já pode “controlar” sua vida.
Sei bem o que quer dizer a recaída pois já vivi dois episódio desencadeado por situações de perda e doenças que me levaram ao descontrole, me fizeram engordar alguns quilinhos e me remeteram aos momentos em que alimento tinha outros benefícios além de produzir energia para o organismo.

Hoje mais do que nunca quero poder ajudar outras pessoas que estão na luta contra qualquer tipo de dependência, ser um ombro que apoia, uma mão que levanta, um ouvido que escuta e uma palavra que encoraja a recomeçar quantas vezes for preciso mas que não desiste nunca.

Bjs com sabor de luta.

7 Comentários

7 comente aqui!:

Jéssica Roberta disse...

olá querida, estou super emocionada com o seu comentário, era bem isso que precisava ouvir,

obrigada de coração

já estou traçando minha meta

bjs

Daniele Lima disse...

Olá Drik@,

Já passei por todas essas etapas exatamente como vc, a única diferença é que eu nunca consegui ser magra depois de adulta, sempre fui no mínimo 20 kg acima do meu peso ideal.
Estou mudando essa realidade, estou no plano de ação e pretendo não ter muitas recaídas.
Beijos,
Dani Lima

Tereza disse...

Menina que post!! Parabéns, vc resumiu perfeitamente a luta diária, e contínua contra a balança. Reeducação é uma mudança de vida, e por isso mesmo é pra toda vida!! Penso que de todas as piores fases são, acordar para o problema (as vezes leva-se anos), e depois manter o que conquistou. Penso que a fase da manutenção exige muito esforço e dedicação de nossa parte!
Adorei ler seu post..
Bjus e fique bem!!
Tereza

Monica de los Santos Teixeira disse...

E já havia postado algo parecido, mas não com toda está clareza... adorei!
Beijos um bom findi!

AMANDO SER QUEM SOU disse...

Realmente a coisa não é fácil, mas persistir é o caminho!!! Postagem show, informativa e motivadora!!1 Bjocas

And CriS Iannie disse...

É verdade amiga, eu não sou obesa, mas estou em uma fase de pre obesidade, e desde minha adolescência lutei para manter o peso,nunca pude comer normalmente, se não o peso vai aumentando pois é mesmo o DNA, e me conscientizar que isso pode ser mudado com a alimentação, exercícios, custa manter-se, ja emagreci varias vezes, e voltei a engordar, pois manter-se é o que custa mesmo.
E eu já pensava assim que a comida é como uma droga, mas não sabia esta explicação, obrigada por compartilhar.
Até postei em um dos meus blogs, muito bom mesmo. http://noticia-amiga.blogspot.com

Mel Mudanca disse...

Oie Drica queridona !! Como vc ta ? desculpe não ter vindo esta semana te dar um oi. Mas estava realmente uma correria aqui sem fim. Espero que esteja bem. Passado para te deixar um beijo, e desejar um ótimo final de semana. segunda estarei firme e forte..estaremos né??..hehe..prometo.. *-*

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t